Ir direto para menu de acessibilidade.

Tradução Portal

ptendeites

Opções de acessibilidade

Página inicial > Últimas Notícias > IFFar ministra formação sobre pensamento computacional em escola indígena de Santa Maria
Início do conteúdo da página
Notícias IF Farroupilha

IFFar ministra formação sobre pensamento computacional em escola indígena de Santa Maria

Publicado em Terça, 27 de Março de 2018, 11h41 | por Assessoria de Comunicação | Voltar à página anterior

Na manhã de hoje (27), o professor do IFFar Christian Puhlmann Brackmann ministrou uma formação sobre pensamento computacional para professores de duas escolas indígenas de Santa Maria. A atividade foi desenvolvida na Escola Estadual Indígena de Ensino Fundamental Yvyra’ija Tenondé Vera Miri da etnia guarani.

O objetivo da formação foi capacitar os professores para desenvolverem atividades que promovam o pensamento computacional dos alunos sem precisar do uso de computadores.

Cerca de 20 professores das duas escolas indígenas existentes na cidade, das etnias guarani e kaingang, participaram da formação. O convite foi feito após as diretoras terem assistido na televisão à matéria sobre o projeto desenvolvido pelo professor. Assista aqui a matéria completa.

As duas escolas existem desde 2012 e ofertam apenas ensino fundamental. A primeira turma da escola da etnia guarani vai se formar neste ano, um marco histórico para a comunidade. A diretora Sheila Ruwer ressaltou que ainda são poucos os alunos que decidem seguir os estudos, continuando o ensino médio e chegando à universidade.

Cerca de 63 crianças estudam na escola da etnia guarani e 35 na escola da etnia kaingang. Alguns professores destas escolas são indígenas e ministram aulas relacionadas à cultura, aos valores e à língua de suas etnias.

A diretora Sheila explicou que a escola é bilíngue, ou seja, os alunos aprendem, desde os anos iniciais, tanto o português quanto a língua indígena de sua comunidade. “Esse processo acontece ao mesmo tempo, o que pode tornar a alfabetização mais lenta”.

A única forma de acesso à Internet pela comunidade é na escola. A maioria dos moradores da comunidade possui celular, mas nenhum possui computador, segundo a diretora. 

“Nós fizemos o convite ao professor Christian, pois vimos uma oportunidade de trabalhar conceitos de computação com os alunos sem precisar de computadores. Além disso, o desenvolvimento do raciocínio lógico leva a questões mais práticas e visíveis, essenciais para a preparação para o futuro”, afirma Sheila.

Para a diretora da escola da etnia kaingang, Isabel Baggio, “essa formação vai ser um divisor de águas, irá abrir muitas possibilidades no processo de ensino e aprendizagem”.  Além disso, Isabel destaca que, através das atividades lúdicas propostas, os alunos irão aprender com mais facilidade e de forma mais prazerosa.

Para o professor indígena da escola da etnia guarani, Jonata Benites, a formação é muito importante, pois irá ajudar na inserção dos alunos no mundo. “Não podemos ficar isolados, temos que interagir com as pessoas e, para isso, precisamos facilitar a comunicação”.

Após a formação, será feita uma avaliação conjunta entre os professores para definição de como essas atividades serão aplicadas em sala de aula. 

O professor Fernando Funghetto Sagrilo, representante do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) do Campus Jaguari, participou da formação, a qual será replicada no Centro de Referência de Santiago.

registrado em:
Fim do conteúdo da página

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha
Alameda Santiago do Chile, 195 - Nossa Sra. das Dores - CEP 97050-685 - Santa Maria - Rio Grande do Sul. Telefone: (55) 3218-9800