Ir direto para menu de acessibilidade.

Tradução Portal

ptendeites

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

IFFar

A videoperformance "Eu sei, mas não devia" foi realizada no período de atividades remotas do Instituto Federal Farroupilha - Campus Santo Ângelo, nos Projetos de Ensino Artes Integradas: Oficinas de Teatro e de Artes Audiovisuais, de forma integrada entre os dois grupos e orientada pela coordenadora Nelcí Andreatta Kunzler.

Assista o vídeo no YouTube:

miniatura

Texto: Nelcí Andreatta Kunzler
Vídeo: Nelcí e alunos

 

Leia mais...

  • 11/06/20
  • 21h57

Em mensagem por vídeo, a diretora-geral Renata Rotta fala sobre o plano de ação do Campus para manter as atividades durante a suspensão do calendário acadêmico devido à pandemia de Covid-19. Nesse período, permanece o posicionamento institucional pelo não uso de atividades letivas de forma remota em substituição às aulas presenciais, mas uma série de atividades complementares que já estão sendo desenvolvidas com os estudantes. Os servidores seguem trabalhando de forma remota.

A partir do dia 15 de maio de 2020, passou a vigorar em todo o Instituto Federal Farroupilha a suspensão do calendário acadêmico, sendo necessário, neste momento, o estabelecimento de estratégias de Ensino, visando conciliar este tempo de suspensão com a retomada das atividades presenciais (ainda sem data definida).

Suspensao_720x384-equal.jpg

Assista no canal do IFFar Campus Santa Rosa no YouTube. A transcrição da mensagem na íntegra pode ser conferida  abaixo.

"Prezados discentes do IFFar – Campus Santa Rosa, pais e responsáveis.

Como Diretora-Geral, venho através desse vídeo, trazer informações sobre as atividades institucionais após a data de 14 de maio de 2020.
Como é de conhecimento de todos, desde o dia 15 de maio de estamos com as atividades letivas suspensas, após decorridos cerca de 2 meses de atividades não presenciais, iniciadas na metade de março deste ano. A decisão pela suspensão do calendário foi oficializada pela resolução Consup nº 1, de 16 de abril de 2020. Isso significa que estudantes de cursos técnicos, superiores e de pós-graduação do IFFar não terão mais aulas remotas em substituição às aulas presenciais.

A suspensão do calendário acadêmico leva em conta a diversidade dos estudantes e das unidades do IFFar, bem como o fato de a maioria dos cursos ser estruturada no formato presencial e indissociável de suas infraestruturas físicas, principalmente laboratórios onde ocorrem as atividades práticas. Com base nesses fatores, o IFFar compreendeu que a manutenção das aulas remotas como substitutas das presenciais, a partir de agora, poderia trazer impactos significativos ao aprendizado. Porém, a suspensão não se caracteriza como férias: durante esse período de excepcionalidade, os cursos estão propondo atividades online - sem que elas sejam, contudo, contabilizadas como atividades letivas ou avaliativas.

A portaria Nº 483/2020 que estabelece as diretrizes para as atividades de ensino, pesquisa, extensão, gestão e desenvolvimento do Instituto Federal Farroupilha no período da suspensão do calendário acadêmico estabeleceu que todos os campi do IFFar deverão: elaborar seus respectivos planos de atividades, com organização a seu critério (apresentação das atividades por curso, integradas entre os cursos, integradas entre campi, etc.); assegurar o envio do(s) plano(s) de atividades, por meio das coordenações dos cursos, a todos os estudantes. Essas e outras considerações estão na portaria nº 483/2020, que traz as diretrizes para a proposição de atividades nesse período.

Conforme o documento, a ideia é “promover ações intra e extracurriculares que tenham por objetivo manter o rumo do aprendizado, não somente por meio da recuperação de aulas e condução formal de tarefas, mas também — e primordialmente — pelo estímulo, incentivo e aproximação dos estudantes, evitando dispersão, evasão e abandono”. Dessa maneira, as atividades remotas propostas durante a suspensão do calendário acadêmico terão como objetivos: tirar dúvidas, revisar e recuperar conteúdos; oferecer atividades lúdicas, culturais e formativas; garantir a continuidade da comunicação e conexão dos estudantes com o IFFar, de forma a prevenir a evasão escolar.

Nesse sentido, com o objetivo de aproximar a relação do IFFar – Campus Santa Rosa com alunos e comunidade e buscar amenizar o distanciamento social provocado pela pandemia de Covid-19, professores dos cursos técnicos e superiores iniciaram o projeto IFFar Mais Perto. A ideia é promover uma série de discussões sobre temas que abrangem saúde, cinema, cultura e conversas com especialistas relacionados às áreas de estudo. As lives estão sendo transmitidas via canal do Campus no YouTube ou pela plataforma Google Meet.

Os professores e demais servidores que atuam junto ao ensino nos cursos técnicos também realizarão os conselhos de classe com o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes durante o período de fevereiro até 15 de maio. Também neste período, os Colegiados dos Cursos de Graduação estão sendo reunidos para debater importantes questões relacionadas à Reformulação das Diretrizes Curriculares Institucionais dos Cursos de Graduação. As atividades de pesquisa e inovação continuam a ser realizadas de forma remota, priorizando aquelas que não dependem de ações presenciais, como elaboração de relatórios, artigos científicos, resumos, entre outros. Eventuais reuniões devem ser realizadas via plataformas online, como Skype, Google Meet, Google Hangouts, Zoom, entre outras.

Para quem recebe bolsa de pesquisa, os pagamentos serão mantidos. Quanto às atividades de extensão reforçamos que estudantes e servidores contemplados em editais de fomento continuam a realizar atividades de forma remota. Durante o período de suspensão, também será possível participar de novas seleções de bolsistas para ações já aprovadas. Sobre os estágios, a portaria observa que atividades como orientação de estudantes, elaboração dos relatórios, dentre outras, poderão ser realizadas de forma remota.

No entanto, vale reforçar a vedação de substituição de atividades práticas, atividades profissionais, de estágios e laboratório por aulas que utilizem meios e tecnologias de informação e comunicação, nos termos da Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. O estágio é ato educativo escolar supervisionado, necessariamente desenvolvido no ambiente de trabalho, portanto não poderá ser desenvolvido por meio de tecnologias de informação e comunicação. As atividades administrativas e de gestão do IFFar não foram afetadas pela suspensão do calendário acadêmico e continuam sendo realizadas de forma remota.

No dia 19 de maio, o IFFar iniciou uma pesquisa, divulgada pelo e-mail institucional e realizada via formulário do Google, para consultar a opinião de servidores e alunos acerca das atividades remotas e da suspensão do calendário acadêmico. As respostas da pesquisa são elementos auxiliares das discussões das instâncias deliberativas. No entanto, reforçamos que o calendário está suspenso até o dia 15 de junho e ainda não há previsão para o retorno das aulas presenciais, pois isso depende de inúmeros fatores relacionados à pandemia da Covid-19 e dos preparativos institucionais para que o retorno se dê com o máximo de segurança à alunos e servidores. O Comitê institucional de Emergência, através de um Grupo de Trabalho, está elaborando os protocolos de segurança para o retorno das atividades presenciais, bem como o plano de aquisição de materiais para higiene, limpeza de ambientes e proteção individual da comunidade acadêmica, promovendo a prevenção de contágio pelo Coronavírus.

Por fim, neste semana o Governo do Estado anunciou o plano de retomada das aulas presenciais. Este plano, sem dúvida, deverá ser considerado pelo Comitê institucional de Emergência para a retomada das atividades no IFFar. As reuniões do Comitê Institucional de Emergência ocorrem nas sextas-feiras pela manhã, a partir das 09h. As reuniões são transmitidas ao vivo e é importante que nossa comunidade acadêmica acompanhe os assuntos ali debatidos, auxiliando na divulgação e esclarecimentos das informações.

Agradeço a atenção de todos e ficamos à disposição.

Grande abraço!" 

 

Publicado em Notícias Santa Rosa

Leia mais...

  • 02/06/20
  • 02h26

Reúna três amigos e um professor para, juntos, produzirem um vídeo que mostre como vocês estão prevenindo e combatendo os focos do mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus".

Essa é a proposta do concurso de vídeo Pesquisar e Conhecer para Combater o Aedes aegypti, lançado na quarta-feira, dia 06, pelo Ministério da Educação. De acordo com o ministro Aloizio Mercadante, não basta um dia de mobilização para as ações contra o mosquito serem efetivas. “O trabalho deve ser sistemático e contínuo.”

Coordenado pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), em parceria com as demais secretarias do MEC, o concurso terá as inscrições, gratuitas, abertas no período de 18 a 31 de maio próximo. Divido em etapas regional e nacional, o edital do concurso limita a inscrição a apenas um vídeo por escola nas diferentes categorias. Os filmes inscritos podem ter no máximo 90 segundos de duração e devem ser captados por aparelhos de telefone celular ou câmeras digitais domésticas, com boa qualidade de imagem e som.

Os vencedores das etapas regionais receberão certificados; os da etapa nacional, além do certificado, virão a Brasília para participar de um curso de formação. Os finalistas e vencedores serão anunciados na página oficial do concurso na internet.

Para fazer a inscrição, as escolas devem primeiramente postar o vídeo gravado no Youtube. Depois, preencher o formulário de inscrição, que estará disponível na página do MEC sobre o zika vírus. Vídeos postados com data posterior ou modificados após o preenchimento do formulário on-line serão desconsiderados.

Dados da instituição, como o código Inep (do Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais), o nome do diretor e o da equipe (alunos e professores), e do vídeo (deve ser o mesmo divulgado no Youtube), assim como o link do vídeo, devem ser informados corretamente. A falta de preenchimento de qualquer campo impedirá a conclusão da inscrição.

Mais informações no Edital da Secadi nº 1/2016. As inscrições serão feitas exclusivamente na página do MEC sobre o zika vírus.

Assessoria de Comunicação MEC

 

Publicado em Notícias Alegrete

Leia mais...

  • 19/04/16
  • 09h27
Fim do conteúdo da página